Campus de Goiabeiras, Vitória - ES

Sessão Solene na Ales homenageia projetos de extensão da Ufes

Hoje, dia 22, às 18h, em comemoração ao Dia Internacional do Estudante (celebrado em 17 de novembro) 22 projetos de extensão da Ufes serão homenageados em sessão solene na Assembléia Legislativa do Espírito Santo (Ales), proposta pelo deputado estadual Fabrício Gandini (Cidadania). A sessão solene acontecerá no Plenário Dirceu Cardoso, e contará com a presença de estudantes e professores envolvidos nos projetos, e também do reitor da Ufes, Reinaldo Centoducatte, da vice-reitora, Ethel Maciel, e da pró-reitora de Extensão, Tânia Mara Delboni.

Estudo da ciência da vida, desenvolvimento de atividades lúdicas, educação midiática, capacitação de mulheres, pesquisas sobre os efeitos do álcool e das drogas, economia na construção civil, prevenção da saúde bucal estão entre os temas dos projetos realizados pela universidade.  Segundo o deputado Gandini, "essa homenagem é uma forma de reconhecer os trabalhos realizados pelos alunos que, orientados pelos seus professores, aplicam os conhecimentos adquiridos na Universidade diretamente na comunidade, beneficiando centenas de pessoas”. A sessão contará também com apresentação musical do Trio Flugotar, composto pela fagotista Ariana Mendonça, pelo violonista Felipe Manzoli e pelo flautista Isaque Lino.

Conheça os projetos homenageados:

Comunicaê - educação para a mídia

O projeto promove a educação midiática de jovens por meio de oficinas de leitura crítica realizadas nas escolas. O objetivo é contribuir para a formação de sujeitos críticos capazes de tomar decisões e interferir na realidade.

Brinquedoteca: aprender brincando

Oferece atividades lúdicas e de ginástica para crianças com e sem deficiência/transtorno global do desenvolvimento, de modo que elas possam aprender e se desenvolver no mesmo espaço de interação, em um processo de educação inclusiva, com respeito à diversidade. O Brinquedoteca atende a 60 crianças da educação infantil, com idade entre 3 e 6 anos. O projeto faz parte do Programa Práticas Corporais de Atenção e Cuidado em Saúde para Pessoas com Deficiência e seus Familiares.

Prática Pedagógica de Educação Física Adaptada para Pessoas com Deficiência

Desenvolve atividades para 40 adolescentes, jovens, adultos e idosos com cegueira, baixa-visão, deficiência intelectual e transtornos globais do desenvolvimento, de modo que possam aprender e se desenvolver com os conhecimentos e a experiência das práticas corporais, na interação com os acadêmicos do curso de Educação Física, contribuindo para a melhoria da convivência social, da autoestima e da qualidade de vida. O projeto faz parte do Programa Práticas Corporais de Atenção e Cuidado em Saúde para Pessoas com Deficiência e seus Familiares.

Cuidadores que dançam

Promove atividades relacionadas à prática da dança para mães e responsáveis pelas crianças, adolescentes, jovens e adultos com deficiência/transtorno global do desenvolvimento, além de atendimento a pessoas idosas da comunidade em geral. O projeto busca possibilitar experiências corporais estéticas, embaladas nos diferentes ritmos da dança, na confecção de vestuário e na apresentação pública de danças, que contribuam para ampliar seus laços de relação, troca de experiências, bem-estar e melhoria da qualidade de vida. O projeto faz parte do Programa Práticas Corporais de Atenção e Cuidado em Saúde para Pessoas com Deficiência e seus Familiares.

Museu de Ciências da Vida (MCV)

É um museu de anatomia que tem o objetivo de levar o conhecimento científico para a comunidade. O MCV é  pioneiro no Brasil, por expor espécimes do corpo humano e de outras espécies inteiramente plastinados em nosso país, abordando questões da métrica do corpo que envolvem a constituição anatômica e fisiológica do corpo humano. 

Centro de Estudos e Pesquisas sobre o Álcool e outras Drogas (Cepad)

Denominado anteriormente de Núcleo de Estudos sobre Álcool e outras Drogas (Nead), o Cepad foi criado em julho de 1996. Trata-se de um centro interdisciplinar, que reúne docentes e profissionais de diversas áreas do conhecimento da Universidade, possibilitando aos seus membros desenvolverem, paralelamente às suas atividades acadêmicas e de serviço, uma formação em saúde mental, com ênfase no abuso e na dependência de substâncias psicoativas, sendo possível então o crescimento pessoal, profissional e científico. 

Pequenos Negócios, Grandes Mulheres

Em parceria com o projeto de extensão Fordan, visa melhorar a situação socioeconômica das mulheres vítimas de violência do nosso estado, dando empoderamento e independência financeira. As atividades ocorrem todos os sábados no Fordan, em São Pedro, Vitória. Aplicando uma metodologia prática e teórica, o projeto tem como objetivo, inicialmente, propiciar participações em feiras e por meio da identificação de erros e falhas, levar capacitações que auxiliem ainda mais as vendas e o desenvolvimento pessoal.

Estação Solares

A Estação Solares é um local de convivência na Ufes. Toda a geração de energia é por meio de placas fotovoltaicas. É um espaço agradável para as pessoas carregarem as suas energias junto com seus celulares, notebooks e quaisquer aparelhos eletrônicos. Ela foi pensada para atender e criar um novo ambiente dentro da Universidade para uso de todos que a frequentam e, além disso, segue um dos valores do Projeto Solares: a divulgação do uso da energia solar para o conhecimento da comunidade.

Projeto Girassol

É parte do Solares e visa contribuir com o ensino de ciência e tecnologia em escolas públicas e particulares do Espirito Santo, por meio do ensino e da experimentação sobre energia, com foco em energia limpa e fotovoltaica. O Girassol leva oficinas gratuitas adaptadas a cada turma e idade. Já são mais de 1.200 crianças e adolescentes alcançados em mais de três regiões diferentes do Espírito Santo.

Projeto Engenheiro Sem Fronteiras

O Engenheiros Sem Fronteiras Núcleo Vitória é uma organização sem fins lucrativos que tem como missão promover o desenvolvimento humano e sustentável por meio da Engenharia. O projeto busca sempre qualidade e impacto nos serviços prestados e quer ser referência quando as pessoas pensarem em engenharia popular e sustentabilidade. Por meio dele, são fornecidos, de forma gratuita, projetos à população, de forma a reduzir custos e desperdícios nas construções de pequeno porte.

Projeto Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo – Célula Emau

Iniciado em 2002, o projeto se apresenta como uma atividade didático-pedagógica e de extensão que pretende propiciar uma formação crítica, desenvolver a faceta criativa do aluno e confirmar a Universidade como local do saber comprometido com o desenvolvimento social. Realiza trabalhos comunitários visando à elaboração de projetos arquitetônicos participativos, a fim de obter efetivo desenvolvimento social nas localidades em que atua.

Projeto Introcomp – introdução à computação

Tem a premissa de levar o ensino de programação a alunos do ensino médio, tendo como foco os alunos da rede pública. Promovido e criado no final de 2010 pelo PET Engenharia de Computação da Ufes, o Introcomp proporciona aos estudantes a oportunidade de explorar mais a fundo tecnologias da informação e de resolver problemas por meio da computação, instigando características como a criatividade e, principalmente, o raciocínio lógico.

Programa de Assistência Dermatológica e Cirúrgica ao Câncer de Pele dos Lavradores do Interior do Estado do Espírito Santo

Destina-se ao atendimento do público com câncer de pele no interior do Espírito Santo, servindo de campo de ensino aos alunos com benefício de atendimento dessas populações.

Sorriso do futuro

O projeto oferece um programa educativo-preventivo de saúde bucal materno-infantil para gestantes, puérperas e crianças internadas no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam-Ufes), em Vitória. O Sorriso do Futuro é desenvolvido por acadêmicos do curso de Odontologia, sob supervisão de docentes. Desde o ano de 2010, já atendeu em torno de 1.500 pessoas.

Universidade Aberta à Pessoa Idosa (Unapi)

O objetivo principal do programa é viabilizar a educação continuada para pessoas da comunidade com idade igual ou superior a 60 anos, bem como fazer uma ponte entre a Ufes e a comunidade, melhorar a qualidade de vida dos idosos participantes, contribuir para as políticas públicas sobre o envelhecimento, propiciar um espaço de aprendizado teórico-prático para os extensionistas e estagiários, possibilitar a realização de pesquisas em diversas áreas, dentre outras finalidades.

Cátedra Sérgio Vieira de Mello na Ufes

A Cátedra foi criada por meio de parceria entre a Universidade e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), em agosto de 2015. O objetivo é promover e difundir, principalmente, o Direito Internacional dos Refugiados que se encontrem sob a proteção internacional do Governo do Brasil, bem como desenvolver atividades que incorporem a temática do refúgio na agenda da Ufes, promovendo a formação e a capacitação de professores e estudantes sobre o tema, além de priorizar o trabalho direto com as pessoas refugiadas e a sua inclusão na vida acadêmica.

Núcleo de Cidadania Digital (NCD)

Criado em agosto de 2005, o Núcleo surgiu a partir da necessidade de promover a inclusão digital de forma inovadora. Para isso, seus esforços visam à transformação social por meio do atendimento realizado nas instalações do núcleo no prédio do Centro de Vivências, das capacitações em cursos de curta e média duração, dos conteúdos e materiais produzidos e pelo suporte a projetos de inclusão digital do Espírito Santo.

Coletivo Caleidoscópio

O projeto tem o objetivo de estabelecer um observatório permanente da comunidade universitária e da população do entorno da Ufes (no campus de Goiabeiras), para criar uma rede de interação juvenil por meio de reuniões, seminários, oficinas e outras atividades culturais que digam respeito à realidade dos jovens. O Coletivo Caleidoscópio propõe primordialmente uma revitalização no cenário de diversidade cultural de Vitória, partindo da Ufes, berço de várias produções e iniciativas culturais.

Fordan: cultura no enfrentamento às violências

Criado em 2005, o projeto acolhe famílias em vulnerabilidade social na periferia de São Pedro, em Vitória. O objetivo do Fordan é implementar ações de Assistência Social no enfrentamento à violência contra crianças, mulheres, LGBTs e jovens negros. O projeto atua com uma equipe multidisciplinar composta por advogada, assistentes sociais, professores de arte e educação física, pedagoga, psicanalistas, psicólogos, economista, terapeuta de reiki e caruna, todos voluntários.

Grupo Andora

Grupo de professores e estudantes universitários que estuda, pesquisa, produz materiais e métodos didáticos sobre cultura popular e folclore. O trabalho consiste em provocar e motivar a juventude para dar continuidade a manifestações de cultura popular e, para isso, promover espetáculos de danças e músicas folclóricas brasileiras em vários espaços e, principalmente, em escolas de educação básica. Além disso, é ofertada formação continuada a professores de escolas por meio de cursos e oficinas de danças. 

Atenção à Saúde Mental de Crianças e Adolescentes

Neste projeto, que acontece no Caps I de Serra, os estudantes de Psicologia acompanham os profissionais em ações de saúde mental de crianças, adolescentes e suas famílias, tais como oficinas terapêuticas e atendimentos individuais. A proposta se baseia no referencial teórico da psicanálise. O público-alvo são crianças diagnosticadas com autismo, adolescentes em conflito com a lei e atravessando quadros depressivos, entre outros casos.

Laboratório de Pesquisas sobre Violência contra a Mulher no Espírito Santo (Lapvim)

Constitui-se como um núcleo aglutinador de projetos de pesquisa, ensino e extensão da Ufes sobre a violência contra a mulher. Um dos focos do Laboratório são a pesquisa e a extensão interdisciplinares junto a comunidades de periferia que acolhem mulheres pobres e pretas, considerando que o estado ocupa o 2º lugar no ranking de violência contra a mulher negra no Brasil. Uma das frentes importantes é a parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Vitória para a formação de professores nas escolas, visando a uma formação continuada e produção de reflexões sobre a Lei Maria da Penha nas salas de aula.

Tags: 
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910